Thursday, March 20, 2008

texas rangers

serei sempre grato à arquitetura em geral e à carreira de professor universitário em particular por me levar a conhecer tantas partes diferentes do mundo.

digo isso porque escrevo estas linhas de dentro do avião, sobrevoando o Texas, voltando pra casa depois de uma curta mas intensa visita a escola de arquitetura de Austin onde fui apresentar meu trabalho.

a University of Texas at Austin é famosa pelo melhor centro de estudos latino-americanos nos EUA, e a escola de arquitetura pelos Texas Rangers, um grupo de professores que lá se juntaram nos anos 50 e revolucionaram o ensino de arquitetura da época.
junte-se a isto a tradição de estudos latino-americanos da UT e o resultado é uma receptividade inigualável da arquitetura Brasileira. Antes do final do semestre ainda estarão por lá Marcelo Ferraz e Milton Braga.

eu nunca soube disso quando estava estudando mas o processo tardo-moderno, baseado em visualização, caminhos e experiências que marcou o meu curso de graduação foi basicamente desenvolvido por eles. Depois da diáspora da Bauhaus, o método compositivo da escola alemã tomou conta dos EUA, começando por Gropius em Harvard e depois Mies no IIT, dominando a cena por décadas até que uma outra diáspora ocorresse entre 59 e 63 que foi a dispersão dos Rangers que tinham se juntado em Austin. Colin Rowe iria liderar Cornell, John Hedjuk iria revolucionar Copper Union, Bernard Hoesli e Robert Slutzke também foram extremanente influentes nos anos 60. Junto com eles se propagou a importância do contexto e dos precedentes históricos (algo que nunca foi valorizado pela Bauhaus) e pode-se dizer que nem a complexidade de Venturi nem a visualidade de Eisenman (este último aluno de Colin Rowe) existiriam sem os Texas Rangers.

e agora, com a hispanidade e a latiniidade em alta, acho que vamos ainda ouvir falar muito da arquitetura advinda da University of Texas at Austin.

11 comments:

luciano l. basso said...

fernando, bom demais o teu texto!!!

teu blog é visita obrigatória!!!

forte abraço
luciano.

Fernando L Lara said...

Luciano,
voce nao sabe o quanto fico feliz com um elogio desses, e o quanto me da energia pra continuar escrevendo.
abracos,
Fernando

Anonymous said...

Fernando, agora sim eu entendi a importância da UT, eu sempre ficava me perguntando sobre isto quando via muitos professores irem fazer o doutorado ou pós-doc lá diante de tantas outras universidades dos EUA. Obrigada! Vc matou a minha curiosidade! :) Abraços, PaulaVieira.

Anonymous said...

Fernando, para completar a minha curiosidade (rsrsrs), fui lá no site da UT e fiquei impressionada com a estrutura e variedade dos programas oferecidos na Faculdade de Arquitetura. Foi bom saber disto... Até, PaulaVieira.

Ricardo Rossin said...

Nem sabia que existia essa. Obrigado pela informação. Como eu estou pensando em, depois de concluir o matser aqui em Barcelona, me preparar para um doutorado em alguma pais de lingua inglesa, vou olhar isso com carinho...Abraços!!

Mário do Val said...

Muito boa dica fernando!

Ontem mesmo acabamos um atelier no Mackenzie com uma escola italiana e eu comentava com a professora que organizou sobre a possibilidade de contato com alguma escola norte-americana. Quem sabe há nessa uma chance de abertura e diálogo com as escolas daqui.

Fenridal said...
This comment has been removed by a blog administrator.
Fernando L Lara said...

Mário,

eu na verdade estou trabalhando justamente para criar estas oportunidades. Nos dias 18 e 19 de maio estarei em Sao Paulo com 12 alunos de mestrado daqui de Michigan e ja falei com Ruth Verde Zein e Carlos Leite para programarmos alguma coisa na Mackenzie. Darei noticias sobre isso em breve.

Mário do Val said...

Oba!

O mundo pós é muito distante do mundo graduação no Mackenzie, muito pela atuação desses e outros professores. Mas de qualquer forma vamos ver se quebramos um pouco isso...

Alberto said...

Muito bom Fernando! Sua perspectiva sobre o ensino é sempre esclarecedora!

O que define essa contraposição entre "visualisação" e "composição" ?

Luidjen Balmitere said...

Cara, gostei muito! Vou ao Texas para trabalhar por lá, alguns meses, pois, tenho uma sociedade em uma empresa de engenharia e arquitetura. sempre admirei a história do "TExas Rangers"! Gostaria de fazer desta viagem também um mergulho mais profundo nesta escola! saudações!