Tuesday, March 25, 2008

o craque opera em outra geometria



há exatos 100 anos, em 25 de março de 1908, era fundado o clube atlético mineiro. Quando eu era menino e o time tinha apenas 70 anos, vivíamos ambos a nossa melhor fase. Naquele tempo eu ainda tinha esperanças de um dia aprender a jogar bola como a seleção brasileira do mundialito no Uruguai em 81 em que metade do time era nosso: João Leite, Luisinho, Cerezo, Paulo Isidoro, Éder e o melhor de todos: Reinaldo.

nenhum dos componentes deste sonho duraria muito. Com 12, 13 anos eu já era reserva do reserva na escola, o time de Telê perdeu a copa, e Reinaldo já tinha se submetido a diversas cirurgias, vítima dos perna-de-pau profissionais que o caçavam em campo.

mas o post de hoje, em homenagem ao maior de todos os times de futebol e seu ídolo máximo, conta a estória de como este arquiteto-quando-jovem conheceu seu ídolo de infância. Corria o ano de 1993 e eu ia me formar no meio do ano, apesar de já ter escritório a algum tempo (vai entender!). Talvez por isso uma colega da escola me convidou para fazer com ela um projeto de um clube para um amigo dela que era deputado estadual. Marcamos de ir ver uns terrenos no final de semana e quase caí pra trás quando o amigo deputado era ele mesmo: Reinaldo de Lima, o mito.

as reuniões de projeto eram quase sempre no seis-e-meia, um bar na rua Grão Mogol, e às vezes na assembléia legislativa, cercados de assistentes picaretas e puxa-sacos de todo tipo. O programa era simples: um campo de futebol, vestiários, alojamento para crianças carentes (e bons de bola) que morariam lá e um salão multi-uso para eventos, 10.000 m2 de área no mínimo.

falar de futebol com Reinaldo era sempre um prazer mas falar de projeto e obra era mais difícil. Uma vez, e eu já contei essa estória dezenas de vezes, Reinaldo insistiu em nos mostrar um terreno ótimo, quase plano, de 12.000 m2 que era, pasmem, triangular! Não entrava na cabeça dele de jeito nenhum que não cabe um campo de 100x60 em um terreno triangular de 12.000 m2, e eu tive de desenhar um campo num papel e o terreno em outro, recortar e sobrepor pra mostrar que não cabia.
Reinaldo acabou comprando um terreno retangular, começou a obra, perdeu a reeleição, se envolveu em confusão (meus leitores mineiros sabem, não vale repetir) parou a obra, eu vim fazer doutorado e agora quando passo diante do Belo Horizonte Futebol e Cultura (BHFC) na BR 040 reconheço alguns traços do meu projeto, uma jenelinhas redondas aqui, um predinho abobadado alí.

mas depois de quase 15 anos entendí, ao pensar neste post, o porquê do terreno triangular que Reinaldo tanto queria. O craque estava certo e o arquiteto, tão jovem e cheio de sí, estava errado.

é que sendo o mais talentoso centroavante de todos os tempos, tanto fazia pra ele se o campo tinha 60, 40 ou mesmo apenas 20 metros de largura. Ele passaria entre os dois zagueiros de qualquer jeito, e encobriria o goleiro, como fez tantas vezes para delírio de milhões de atleticanos.

parabéns Galo centenário, parabens torcida maravilhosa!

6 comments:

Ricardo Rossin said...

Parabens ao Galo, mas ser o maior de todos ai já é outra história...rs...

Alberto said...

Parabéns Galo, pelos 37 anos na fila! ;)

Agora, nme me falem em estádio, a diretoria do São Paulo vai mesmo deixar o Ruy Othake DESTRUIR o Morumbi com mai uma geringonça estapafurdia. Lástima.

Meu querido tricolor náo dá sorte: primeiro vem o artigas e faz uma arquibancada a 50 metros do gramado; depois vem esse inominável e trasnforma o estádio numa joaninha esmagada.

Anonymous said...

Bom não entendo nadica de nada sobre futubol :) Mas Fernando, gostaria de deixar uma dica de texto que li estes dias sobre o ensino e formaçao em arquitetura, principalmente no contexto europeu - http://revlae.ulusofona.pt/pdf01/Arq_ensino_maria_neto.pdf

Abraços a todos, PaulaVieira.

Fernando L Lara said...

Alberto,
a torcida do Atletico ficaria radiante de ter um estadio, qualquer estadio. Mas essa copa de 2014 vai ser mesmo um desastre para nossos estadios, resta cruzar os dedos.
Fernando

Max said...

nem me fale dos estádios para a Copa...

mas colocar uma expressão como "o maior de todos os times de futebol" em um texto sobre o Atlético é forçar um pouco demais a barra, não?!?

Mas o Reinaldo era mesmo sensacional. E olha que eu sempre torcia pelo time do outro lado.

Anonymous said...

Fernando,
Só hoje li o post. Eu sou bastante mais velho que você e vi muita gente boa jogar futebol, mas Reinaldo foi o maior, sem dúvida. Tive a ventura de acompanhartoda a carreira dele, cada gol, cada emoção. Mas acompanhei também cada canelada, cada cirurgia e vi que o futebol não é feito só de craques e de genialidade.
Acredito que ele passaria entre os zagueiros e encobriria o goleiro em qualquer campo, em qualquer circunstância, mesmo dentro de um triangulo, como aquele do escudo do Atlético.
Se foi ou nao um bom deputado, se foi ou nao um empreendedor, nao tem a menor importancia. Ele foi o mais genial dentro do campo e isso é que contou para mim. O grande projeto dele foi com a bola nos pés e sou grato a ele por isso, pelas alegrias que me deu.
Bom que ele povoou seus sonhos de menino e, depois, povoou seus sonhos de arquiteto. Sorte dele, sorte sua.

abraços,
Mauricio Lara