Wednesday, October 3, 2007

quanto mais longe mais triste?

William McKibben acabou de dar uma palestra aqui em Michigan. Entre as idéias que mais me chamaram a atenção o autor de Deep Economy e idealizador do movimento Step it Up soltou a seguinte provocação:

desde 1956 uma pesquisa aqui nos EUA constata a cada ano que menos pessoas se dizem felizes, na exata proporção inversa do poder de compra ou do crescimento da economia. Tal tendência vale claro para indivíduos cuja renda percapita está acima de 12.000 dólares por ano, ou seja, acima da linha de pobreza.

segundo McKibben, isto se explicaria pela redução no número e na qualidade da interação entre as pessoas. Como o padrão suburbano norte-americano constrói casas cada vez maiores e mais distantes uma das outras (citando a última moda de 2 master bedrooms!!!), as pessoas têm cada vez menos contato com o outro.

claro que o argumento principal de McKibben é pelo aumento da densidade e mudança nos hábitos de consumo, mas não deixa de ser uma provocação bem interessante.

seríamos mais felizes quanto mais interagimos com os outros?

no caso brasileiro, será que esta teoria do isolamento-gera-infelicidade se aplica tanto aos condomínios verticais quanto aos horizontais?

1 comment:

Alberto said...

Depende né Fernando. Tem muito condo horizontal classe média aqui baseados (porcamente, for sure) no New Urbanism. A premissa pode ser interessante, mas esse cachorro vai morder o próprio rabo lá na frente.