Wednesday, November 12, 2008

torcendo os brises do MEC








o post de hoje trás um projeto que me fascinou pela beleza, pelo desafio e pela referência direta à arquitetura brasileira.

Tsz Yan Ng e Mehrdad Hadighi do Studio for Architecture projetaram em Shantou, China, um edifício multi-uso para uma indústria textil que conjuga show-room, escritórios e andares para a própria fabricação.

a solução barata e extremamente elegante foi inspirada ao mesmo tempo no nosso MEC de 1936e na caixinha de comando de Herzog e De Meuron em Basel.

o fantástico do edifício de Ng e Hadighi foi modelar um brise torcido e perfurado a ser fabricado na China, em concreto, a partir de moldes elaborados em Bufallo, NY.

o resultado está aí nas fotos mas trazendo a discussão para o nosso contexto, em primeiro lugar é importante perceber o impacto que a arquitetura moderna brasileira tem no exterior. Nem Ng nem Hadighi tiveram nenhum contato maior com o Brasil a não ser através dos livros de história da arquitetura moderna e no entanto ao explicar de onde veio a idéia do brise torcido lá estão o MEC e H+dM.

mudando de assunto para a recente contratação de Herzog e De Meuron para um projeto em São Paulo, ainda bem que vamos aos poucos evoluindo e finalmente deixando os autores do genial prédio do MEC onde eles ficam melhor: no século passado. Agora um concurso internacional traria propostas daqueles que serão os melhores arquitetos das próximas décadas e não das passadas. Foi isso que Getulio Vargas e Gustavo Capanema fizeram em 1936, investiram na arquitetura do futuro, mesmo que pra isso fosse preciso cancelar um concurso.

4 comments:

Max said...

epa!!
quem foi contratado para fazer o que e aonde?!
explica isso direito?!

Fernando L Lara said...

noticia de varios blogs Max, Herzog e de Meuron contratados para um projeto (acho que um centro de denca) no terreno de uma antiga rodoviaria em SP. Tambem estou a procura de mais detalhes.
F.

Marco Antonio Borges Netto - Marcão said...

Max e Fernando,

Três fontes, além dos blogues, sobre o assunto:

1 -http://www.arcoweb.com.br/emdia.asp?atual=2582,

2 - http://g1.globo.com/Noticias/PopArte/0,,MUL850488-7084,00-NOVO+TEATRO+E+APOSTA+DE+REVITALIZACAO+DO+CENTRO+DE+SP.html e

3 -http://www.saopaulo.sp.gov.br/sis/lenoticia.php?id=100219.

Edson Mahfuz said...

querido fernando,

que bom que as novas gerações olham para a nossa arquitetura paradigmática e se inspiram por ela.

mas em geral lhes falta critério e maturidade para entender quando parar. para haver uma necessidade de deixar a sua marca pessoal por meio de um gesto "criativo".

o gesto dos brises torcidos é patético. terá a ver com a proteção solar? claro que não. só tem a ver com a aparência, já que estamos na era do espetáculo.

charles correa certamente não faria nada parecido.

abraço.