Sunday, November 9, 2008

Eisenmann por escrito

acabei de ler este final de semana a tese de doutorado de Peter Eisenmann: The Formal Basis of Modern Archietcture.

um primor de análise formal, Eisenmann é excelente quando analisa Corbusier, Aalto, Wright e seu favorito Guiseppe Terragni. Como arquiteto são muitas as criticas a sua obra. Eu arrepio por exemplo toda vez que ele fala que faz arquitetura para si mesmo e não se importa com mais ninguém, nem com o cliente que está pagando a conta.

mas como estudioso da arquitetura Peter Eisenmann é fantástico, ler sua tese é entender em detalhes a gênese formal do que de melhor construímos no século passado.

só que tem um detalhe importante, a tese de Eisenman foi publicada em 2006 por uma pequena editora Suíça, 43 anos depois de ter sido defendida em Cambridge. Isso mesmo, entre 1963 e 2006 a tese ficou juntando poeira em prateleiras inglesas. Eisenmann publicou alguns artigos a respeito mas juntando tudo tenho absoluta certeza que pouco mais de algumas centena de pessoas leram a respeito.

no entanto, não conheço nenhum arquiteto digo do titulo profissional que carrega que não diga conhecer a obra de Eisenmann. Mas ao invés de ler sua obra nós consumimos imagens dela apenas. Não estou aqui negando o fato de que a visualidade tem um papel central na nossa profissão e serei o primeiro a defender que uma imagem vale mais que mil palavras.

mas existe algo em uma tese, uma organização lógica e sistematização do conhecimento que não se transmite apenas graficamente.

agora se a tese de doutorado de um dos mais celebrados arquitetos do final do século 20 demora 43 anos para ser publicada, tem algo muito errado acontecendo (ou não acontecendo) entre a produção do conhecimento na academia e a divulgação deste.

8 comments:

Viver Sustentável said...

olá!
vim avisar do novo endereço do Viver Sustentável e deixar um abraço :-)

Henrique Gonçalves said...

Fernando, já que estamos falando em Eisenman, vc conhece esse vídeo?

http://www.youtube.com/watch?v=IQFEaAUrfAk&feature=related

Fico curioso de saber também sua opinião a respeito do ensino de arquitetura, se é possível ou não "acender a luz" do estudante, ou o jeito é jogar todos na água e ver quem se vira e sai nadando..

Realmente nunca tinha me perguntado isso, mas agora nem eu sei mais qual porcentagem do meu aprendizado eu devo a quem.

Diego Schmidt (lotaH) said...

Oi Fernando,

Eu já havia lido sobre este texto na internet, e procurei nas editoras brasileiras mas nada. Pode nos informar os dados da publicação em Inglês, pra que eu possa tentar conseguir? Obrigado.

Mário do Val said...

Fernando,

Tirando que em 43 anos aconteceram muitas coisas - teóricas e práticas - no mundo arquitetura; qualquer estudo bem feito da produção me parece ser uma boa coisa a ser lida. Agora, será que é tão hermético como a grande fonte inspiradora do Eisenmann: Derrida?

Fernando L Lara said...

Mario,

seu ponto eh bem interessante. Tenho quase certeza que Eisenmann nao tinha lido Derrida em 1963, a tese eh de uma leitura clara apesar de densa.

De qualquer forma eu prefiro Derrida por ele mesmo, as traducoes arquitetonicas sao quase sempre artificialmente complexas e fechadas como voce disse.

Diego, ai vai a referencia completa:

Peter Eisenman, The formal basis of modern architecture, Baden, Switzerland : L. Müller, 2006, ISBN 9783037780718.

Ricardo Rossin said...

Queria uma vez ler um livro chamado "Trazos de Eisenman"...algo assim...é uma tse de doutorado de uma arquitta, mas não sei realmente qual o conteúdo. Tenho curiosidade para conhecer melhor ele..

Diego Schmidt (lotaH) said...

Obrigado Fernando.
Segue o link:

http://www.amazon.com/Formal-Basis-Modern-Architecture-Dissertation/dp/3037780711/ref=sr_1_1?ie=UTF8&s=books&qid=1226401492&sr=1-1

Marco Antonio Borges Netto - Marcão said...

Não me surpreende que a tese do Eisenmann seja excelente. Os textos dele no livro organizado pela Kate Nesbitt, "Uma Nova Agenda para a Arquitetura", são ótimos. Também os recomendo. Aliás, não só os textos como o livro também.