Saturday, March 14, 2009

quem disse que mineiro não perde o trem?



Carlos Teixeira (na foto relaxando em um de nossos penetráveis) esteve aqui em Michigan esta semana, fez um workshop com meus alunos e apresentou seus premiadíssimos trabalhos. Carlos é sem dúvida o arquiteto mais cosmopolita das Minas Gerais e tem mostrado pelo mundo seus trabalhos nos quais a intimidade e o estranhamento são dosados com precisão. Intimidade para entender as complexidades da construção brasileira em textos como O Capim e projetos como as Amnésias Topográficas. Estranhamento para desenvolver uma crítica pertinente e revelar as contradições do espaço construído brasileiro. Além disso, Carlos Teixeira consegue manobrar seus projetos no exíguo e nebuloso espaço entre o público e o privado, ao mesmo tempo em que desafia os limites de ambos.

mas mesmo sendo tão antenado com o trem da história Carlos e Gabi se infiltraram ontem a tarde por Ann Arbor, e chegaram atrasados na estação onde eu esperava com as malas. O resultado foi mais uma noite de conversas porque o próximo trem pra Chicago só saiu agora de manhãzinha.

mais um paradigma das gerais desconstruído pelo Carlos

1 comment:

suélen said...

Quero deitar nesta rede.
Redes do meu Brasil, como é deliciosamente bom deitar em ti!

abracejos