Friday, January 23, 2009

coitada de Brasilia


o Max me chamou a atenção para este debate que anda esquentando as conversas em Brasília e eu faço minhas as palavras de Sylvia Ficher: Coitada de Brasília.


quando Oscar Niemeyer escreve como fez hoje no Correio Brasiliense que tem “o direito e a obrigação” de desenhar o que quiser em Brasília, a cidade, coitada, só tem a perder.

Niemeyer foi genial dos anos 30 (quando ele era na minha opinião o melhor arquiteto do mundo) aos anos 50 enquanto teve uma excelente equipe. Infelizmente, como bem observou Ourosoff por ocasião do centenário do mestre, teve a chance de viver o bastante para danificar a própria obra.

o projeto do Centro Administrativo do Estado de Minas Gerais por exemplo é ruim na concepção e mal projetado a ponto de causar tristeza. Pergunte a qualquer um que trabalhe na obra sobre a falta de detalhes, ausência de coordenação entre projetos complementares e flagrantes erros de orientação solar e funcionalidade.

e se ainda fosse uma forma elegante....

mas o mais triste mesmo, na falta de melhores argumentos urbanísticos e arquitetônicos , é ver o mestre do alto de seus 101 anos bradar que tem o direito e a obrigação de conceber e propor a praça.

desculpe mestre Oscar, com todo o respeito que lhe é devido, você não tem nem um nem outro, a cidade não lhe pertence desde 21 de abril de 1960.

sobre o debate ver textos de Sylvia Ficher, Fred Holanda, Carlos Henrique Magalhaes e a resposta do próprio Niemeyer.

ps: e parabens ao MDC (leia-se Danilo) por apoiar o debate.




7 comments:

Sylvia Ficher said...

Fernando, obrigada pelo apoio, tudo indica que conseguimos, todos nós, abrir um debate importante para a profissão de arquiteto em nosso país.
E aproveito para parabenizá-lo pelo novo livro, que já recebi, li e recomedei!!
Feliz 2009, Sylvia

Fernando L Lara said...

Sylvia,

fico super feliz com sua presença no blog. Sou seu leitor há tempos e um elogio seu tem para mim um peso enorme.

e que essa conversa esteja só começando,

abraços,

Fernando

Ricardo Rossin said...

Muito bom todos os textos. Vou postar no meu blog e seguir expandindo a discução.

Marco Antonio Borges Netto - Marcão said...

Olá, Fernando.

Também falei sobre o assunto na Crise [!]: http://revistacrise.blogspot.com/2009/01/oscar-niemeyer-polmicas-e-mais-polmicas.html.

Complemento: pelo seu histórico, os atuais projetos de Niemeyer deixam muito a desejar. E as opiniões dele há muito já deixaram de ser controversas. Hoje beiram ao absurdo e ao ridículo. Um arquiteto urbanista do calibre de Niemeyer, que é um marco da arquitetura brasileira, não pode se submeter a isso. É uma pena.

Alessandra Anselmo said...

Oi Queijinho,
Como moradora e interessada, tenho acompanhado essa discussão, achando mais que ela é a cereja do bolo da tremenda confusão que Brasília tem se tornado, para o bem e para o mal. Para registro, concordei com a Sylvia Ficher.
Já tem um tempo que quero te dizer que gosto muitíssimo do seu blog e estou sempre atualizada com os posts, que são sempre lúcidos, informativos e, em alguns casos, mesmo ternos. Me interessei especialmente pelo studio toró, que achei uma proposta quase óbvia, não fosse genial. Além do mais, ler os posts não deixa de ser uma forma de matar as saudades do amigo! Grande beijo para você, Lê e as meninas.
Alê Anselmo

Fernando L Lara said...

oi Ale,

ha quanto tempo nao escutava esse apelido!!!! so voce mesmo!!

fico super feliz que voce le o blog de vez em quando. Vou arrumar um tempo pra te mandar um e-mail mais longo. beijos pra voce, Guilherme e Theo.

Anonymous said...

Eu concordo totalmente contigo, Niemeyer ja deu o que tinha que dar a muito tempo...ninguem critica nada o que o cara faz. Se fosse eu que tivesse projetado, todo mundo ia falar: q mier...