Thursday, July 10, 2008

férias

este blog entra em férias de hoje até dia 20 de julho e retorna dia 21 diretamente de Oxford, Inglaterra, onde estará acontecendo a 2008 Oxford Conference on Architecture Education: Resseting the Agenda 50 years on.

prometo dar mais notícias direto da conferência mas até lá vale a pena dar uma olhada no texto com as recomendações escrito quando da conferência de 1958.

da minha parte, vou estar fazendo uma provocação no seguinte sentido: o imperativo da sustentabilidade me parece ser a última chance de costurarmos pesquisa e projeto no ensino de arquitetura.

até breve,

7 comments:

Ricardo Rossin said...

Enjoy...Aguardaremos novas notícias!!

Arquimania said...

Olá! Vim aqui divulgar nosso blog!
www.arquiloucura.blogspot.com

abraços!

Diego VianaGomes said...

Oi, infelizmente nosso trabalho não conseguiu premio no consurso de sustentabilidade , mas vim aqui para divulhar nosso site e se for possivel vc poder colocar aqui no blog
http://urbanrecycle.wordpress.com/

Marco Antonio Borges Netto - Marcão - revistacrise@email.com said...

Concordo em gênero, número e grau com você.
E penso que o aluno de arquitetura e urbanismo deve ter o conceito de sustentabilidade claro na cabeça, que ele é muito mais amplo que imaginamos.
Ele deve, além disso, ter consciência de que a arquitetura não é eterna, que uma edificação não dura para sempre (Essa idéia romântica da arquitetura.). E por não durar para sempre, gera entulho. E, portanto, o aluno de arquitetura e urbanismo deve aprender a projetar e a construir edificações aonde o entulho possa ser reciclado e saber reciclar materiais de uma demolição. E saber argumentar economicamente o uso desse entulho, também. Que além de ser benéfico para o meio ambiente, é benéfico para o bolso, inclusive.
Só para ilustrar o que disse, li que para demolir um presídio nos EUA, a construtora economizou 26% para demolir e reduziu em 95% o lixo destinado ao aterro sanitário vendendo os materiais da demolição.
Realmente a pesquisa e o projeto serão fundamentais para a sustentabilidade.
Por falar nisso, você recebeu o texto do Edézio Teixeira - geólogo e professor da UFMG - sobre o tema? Publicado num livro sobre o Projeto Manuelzão? Se você quiser, me envia um email que te passo.
Abraços,
Marco Antonio.

Henrique Gonçalves said...

Boa sorte em sua conferência, professor! Concordo com sua opinião e espero que gere bastante debate! Mas como aluno de arquitetura e história simultaneamente, tenho que discordar do senhor na última sentença: além do campo da sustentabilidade, a pesquisa histórica na arquitetura ainda guarda muitas possibilidades (tinha que puxar sardinha pra minha área)!
Já que estamos aqui, convido-o para conhecer meu blog, http://vistadoobservador.blogspot.com
Já está entre os links relacionados, e me perdoe se eu estiver escrito qualquer asneira! Até mais!

Paula Vieiria said...

Boas ferias, Fernando! E aguardo comentarios sobre sua palestra! E concordo com vc, não consigo pensar em outra mudança de paradigma tão importante para arquitetura e para nossas cidades, e pq nao para nosso futuro aqui na terra, mesmo que isso pareça tão dramatico e catastrofico! :) Até mais, Paula Vieira.

Fernando L Lara said...

queridos,

de volta a blogosfera, agradeco a todos os novos blogueiros que vem se juntar a nossas conversas.

Fernando