Friday, May 23, 2008

Ouro Preto sai na frente

acesso junto a rodoviaria
escadas no vale dos contos




os cinco leitores deste blog já devem ter se cansado da minha insistência em falar sobre a questão das águas em áreas urbanas, quase sempre como um problema sério.

então pra não sair do tema desta vez vou comentar sobre uma ação tremendamente positiva que está para ser inaugurada em Ouro Preto no próximo mês de junho:

um parque rasgando a cidade de cima a baixo seguindo o curso d’água.

isso mesmo, o urbanismo orgânico das minas gerais acabou por preservar relativamente bem os cursos d’água (o fato de ter ouro ali ajuda né?) que correm nos fundos dos lotes, evitando problemas maiores com desmoronamento ou enchentes. Em Ouro Preto, ao contrário da maioria das nossas cidades brasileiras, o fogo destrói mais do que a chuva justamente porque as águas correm relativamente desimpedidas pelo meio dos quarteirões.

mas estes cursos d’água só eram conhecidos pelos moradores ou ocasionalmente por um visitante mais intrépido que resolvia descer ao fundo do quintal. Seguindo a tradição das “testadas” , o valor ainda reside apenas no encontro com a rua, os quintais sendo relegados a uma terceira divisão urbana.

isto está prestes a mudar. Com financiamento do programa Monumenta/Iphan e da prefeitura da Ouro Preto, está quase pronto um parque linear que segue a água, rasgando a cidade pelo meio e ligando a rodoviária lá em cima à estação ferroviária lá embaixo.
os quintais vão ficar importantes, a cidade ganha um parque e as águas continuam fluindo como deveriam.


6 comments:

Alberto said...

Muito interessante. Confesso que me escapou esse detalhe importante quando estive em OP. E esse parque vai consistir no que exatamente? Tem alguns espaços de ala(r)gamento?

Ricardo Rossin said...

Esse espaço vai servir como parque, reservatório de água ou é só uma maneira de dizer que ali existem cursos de agua e merecem uma atenção?
Esse "parque" seria como o uso de áreas da CPFL em Sao Paulo, onde usamos as áreas que exitem embaixo das redes elétricas para viveiros de plantas, dando um outro sentido a aquele vazio verde urbano, mas não usando como um parque definitivamente, estando ali mais como um cuidado dessas áreas do que um lugar de usos propriamente dito?

Anonymous said...

Fernando, que idéia interessante, além de função ambiental, ainda poderá resgatar nossos quintais, tão pavimentados e tão esquecidos nas paisagens urbanas. Seria uma solução tão para as áreas de encostas, não? PaulaVieira.

Fernando L Lara said...

dos meus cinco leitores tres ja comentaram em pleno feriadao!

vou tentar achar um mapa do parque ou desenhar um eu mesmo.

tem areas de alargamento sim Alberto. Bem junto a Casa dos Contos tem um jardim botanico, e junto a rodoviaria uma area enorme.

Ricardo, acho que o parque nao tem nenhum reservatorio, mas so de nao se construir ou "corrigir" os cursos d'agua ja ajuda muito.

e Paula, tomara que a ideia pegue como voce sugeriu.

Ricardo Rossin said...

Sim claro, era isso que queria saber. Atua como proteção desses cursos de água. E realmente a moda poderia pegar!

Alberto said...

Sim, lembro da encosta ao lado da Casa dos Contos. O potencial da coisa é realmente enorme.

Aguardamos o mapa. exsite algum exemplo dessa tipologia de parque?

Alguma versão já realizada do "Parque das Panturrilhas Ardentes"? ;)