Monday, June 29, 2009

recado para Oscar / message to Oscar


o telefone tocou no meio da noite e ele atendeu rapidamente, saltando da cama como se um século não pesasse nos ombros nem nas pernas. Do outro lado da linha uma voz conhecida mas que ele não ouvia a mais de 15 anos.
- Oscar?
- Sim, sou eu, quem fala?
- É o Roberto, Roberto Burle Marx. Quanto tempo hein Oscar? Nunca pensei que ia demorar tanto pra você vir pra cá. Olha, desculpa o mau jeito de te ligar assim no meio da noite. É que essas conversas só funcionam quando vocês vivos estão meio dormindo meio acordados. Olha Oscar, nós andamos conversando muito sobre você nos últimos anos. Impressionante como os anos passam depressa aqui, acho que diante da eternidade tudo fica minúsculo..... mas sobre isso a gente conversa depois quando você chegar. O Lucio foi contra, acha que você não vai ouvir, mas o resto do pessoal me pediu pra te dar o recado. É o seguinte, nós estamos todos preocupados com o que você anda fazendo atualmente. Cada prédio mal detalhado, mal construído. Para Oscar. Para e vai curtir as homenagens que você merece. Vai desenhar suas mulheres curvilíneas e para de desenhar esses prédios com curvas sem sentido. Se for por dinheiro arruma um jeito de vender seus desenhos. O Corbusier fez isso quando viu que seus projetos já não tinham a mesma força. Eu também passei a pintar mais e projetar menos quando percebi que os jardins já não saiam com a mesma vivacidade. E com esses prédios sem graça você está arruinando a sua biografia Oscar. Aquele moço do New York Times escreve muita bobagem mas acertou na mosca em 2007 quando disse que você estava vivendo o suficiente para estragar sua própria obra. O Charles Moore ficou muito meu amigo (não sei como não o conheci antes, um amor o Charles) e sempre fala do arrependimento de fazer aquela Piazza di Italia em New Orleans. Uma pracinha a menos e a obra do Charles ficaria muito mais íntegra. Você já acumula uma dezena de “piazzas” Oscar e ainda quer fazer uma grande bem no meio do eixo monumental! Já não basta enfiar um auditório no meio da Casa do Baile, aquela biblioteca sem livros em Brasília ou esse Centro Administrativo no caminho de Confins. Aliás, passa em Confins pra você lembrar a beleza do detalhamento do Milton. Se você ainda tivesse gente como o Milton ou o Lelé pra detalhar seus esboços.... Você não precisa disso Oscar, já é de longe o mais importante arquiteto das Américas no século XX (o Frank tá aqui resmungando mas pra começar ele nasceu no século XIX). Desenhe Oscar. Escreva Oscar. Esse negócio de arquitetura dá trabalho demais e quando feito as pressas fica muito ruim. Olha, tá todo mundo mandando um abraço e dizendo pra você demorar bastante. Na verdade a gente morre de inveja da sua longevidade (e alguns do seu talento).

algum tempo depois ele acordou e foi se vestir. Ia receber muita gente no escritório para mostrar mais um projeto (desenhado ontem) para mais um político enraizado nas idéias e nas formas do século passado.




the phone ringed in the middle of the night and he got it quickly, jumping out of the bed as if a century had no weigh. On the other side a voice that he knew from years ago.
- Oscar?
- Yes, that’s me, who’s that?
- It’s me, Roberto, Roberto Burle Marx. Long time no see. I never thought it would take so long for you to join us. Please forgive me the bad timing, in the middle of the night. We can only reach live people when you are half awake and half asleep. Oscar, we have been talking a lot about you in recent years. Amazing how the years go fast here, I think that in the face of eternity everything becomes so tiny ..... but we can talk about it later when you to arrive. Lucio did not agree, he believes (probably correctly) that you hear nobody. But all the others insisted that I should call you. Here’s the thing: we are all worried about what you are building nowadays. Poorly detailed, poorly constructed. Stop Oscar. Enjoy the honors that you deserve. Go back to drawing your curvilinear women and stops drawing building with meaningless curves. If it is for the money you can make a good living with your drawings. Corbusier did that and I also started painting more when I perceived that the gardens didn’t have the same vivacity as before. Those tasteless buildings are ruining your biography Oscar. That boy from the New York Times was correct in 2007 when he said that you lived long enough to ruin your own work. Charles Moore is also here and he is my best friend now - I don’t know why I never met him before - always talking about how much he regrets that Piazza di Italia in New Orleans. A single small piazza taints Charles biography and you have already accumulate half a dozen “piazzas” Oscar. Why put an auditorium inside Casa do Baile? Why build an empty library in Brasilia? Why this monster administrative center close to Confins airport? By the way, go back to Confins to see the elegant detailing that Milton designed. If only you still had people such as Milton or Lelé to detail your sketches…. You don’t need this Oscar. You are already the most important architect of Americas in the 20th century (Frank is screaming here but for a start he was born in the 19th century). Go draw Oscar. Go write Oscar. This business of architecture is too complicated and when done in a hurry it looks awful. Everybody here says hello and tell you to stay alive as much as possible (everybody envies your longevity and some envy your talent too).

some time later he woke up. Later in the day he would have a lot of people in the office to show a project, drawn yesterday, to one more politician rooted in the ideas and the forms of the previous century.

26 comments:

Henrique Gonçalves said...

Fantástico.

Thiago Beck said...

Sem dúvida, a mais inteligente crítica que lí nos ultimos tempos. Parabéns.

Henrique Gonçalves said...

Caro professor, nós poderiamos reproduzir seu texto no doob? Colocamos fonte e tudo mais! hehe, acreditamos que esse texto, em especial, precisa ser disseminado!
grande abraço!

Fernando L Lara said...

Henrique,

fique a vontade para reproduzir o texto no doob.

Obrigado Thiago pelo elogio.

Divido as honras com Elio Gaspari que sempre escreve textos geniais sobre telefonemas do Geisel ou do Tancredo pro Lula.

Ricardo Rossin said...

Sensacional...

"Sem dúvida, a mais inteligente crítica que lí nos ultimos tempos. Parabéns." (2)

Parabens pel texto Fernando

Oliveira Júnior said...

Brilhante crítica.
Inteligente, sensata, sensível e elegante.
Nos tempos da ditadura o Henfil criticava os generais através das geniais cartas endereçadas à sua mãe e publicadas na Revista Isto É.
Voltarei aqui mais vezes.

Oliveira Júnior said...

Aproveitando a deixa do Henrique também não pude deixar de reproduzir o texto em www.arqpb.blogspot.com, citando a fonte e o autor.

mateussz said...

Olá Fernando.
Também reproduzi o texto no meu blog. Como todos falaram acima, o texto é fantástico.
Parabéns. A crítica é ótima e sarcástica!

Henrique Gonçalves said...

poxa, eu não vi sarcasmo, e talvez seja por isso que tenha gostado da crítica. Recentemente virou moda descer a ripa no Niemeyer, mas quem fez isso esqueceu da sombra que faz a obra monumental desse homem.
Já essa crítica não, ela é o que a gente pensa: estamos na verdade preocupados com o rumo que as coisas estão levando na carreira do Oscar, de arquiteto pra arquiteto, de amigo pra amigo.

Marco Antonio Borges Netto - Marcão said...

Ótimo texto.

Oscar deveria ouvir o amigo Roberto. Os seus erros estão quase tão monumentais - usando a expressão do Henrique - quanto seus atos geniais.

Infelizmente para ser reconhecido a pessoa precisa de 500 belos acertos ou de um erro da mesma proporção dos acertos. E geralmente se ela acerta e erra, o erro sobrepõe os acertos.

Isadora said...

Muito bom!

Fernando Galvão said...

Fantástico! Belo texto e crítica. Acho que se os caras lá de cima descobrem os telefones de muita gente aqui embaixo, vão passar o dia ligando... :)
Parabéns!

felipe botelho said...

mto boa!!!
felipe

ps.: ele só não pára porque sabe que se parar vai encontrar o burle marx pessoalmente mais rápido.

ps.2: influencias jacksonianas?

Cláudio Luiz said...

Muito bom.
O telefone precisa mesmo tocar.

Ricardo Rossin said...

Meus comentários são bem "forte" quando me refiro ao Niemeyer, mas nem por isso deixo de reconhecer sua produção que, até um certo momento, foi genial.

Nenhum de nós, brasileiros e arquitetos, esquecemos do que representou (ou representa) Niemeyer para a arquitetura brasileira e mundial, mas não podemos ser omissos e deixar as coisas passarem só porque lá trás ele acertou muito mais do que errou...

Hoje o momento não é tão belo assim.

Se todos nós soubéssemos escrever como o Fernando, seria muito melhor, mas sabemos que não é assim tão fácil...

Acho que o ponto de vista é o mesmo, a diferença está em como descreve-lô sem ser rude, passando a mensagem sem ser indelicado, como essa crítica aqui tão bem feita pelo nosso amigo Fernando.

Ricardo Rossin said...

Fernando,

Aproveitei para reproduzir também no meu blog o seu texto...

Abraços...

Fernando L Lara said...

prezados,

so fazendo eco ao que todos escreveram, me preocupa sim o estrago que o proprio Niemeyer esta fazendo na sua genial obra dos anos 30, 40, 50, 60 e 70. Pra mim uma das questoes chave eh perceber que nao se faz boa arquitetura sozinho, eh fundamental ter uma equipe qualificada que infelizmente o genio centenario nao tem.

aproveito para agradecer os elogios. O telefone do alem vive muito ocupado, minha antena eh que so capta muito de vez em quando.

Ana Paula said...

Fernando, acertou em cheio, no tom, no conteúdo, em tudo. Adorei, e vai parar no Urbanamente também.

Te mandei um e-mail, pro teu endereço gmail, mas não sei se vc recebeu. Tou te devendo um agradecimento gigante, por coisas ótimas que estão acontecendo comigo nas últimas semanas.

Grande abraço.

Max said...

genial, Fernando.
Eu também acho que o maior erro do Niemeyer foi não ter se aposentado com honras uns 20 anos atrás.

e também vou reproduzir o texto.

um abraço,

alex said...

"quem sabe faz, quem não sabe ensina";

sem mais

ollag said...

Quantos dos melhores arquitetos contemporâneos tem suas vidas relacionadas com o ensino? Acho que Siza e Moneo são bons exemplos..

acho que essa frase não procede..

Fernando L Lara said...

Alex,

como professor universitario eh claro que esta frase me cai como uma ofensa dupla. Por inferir que todos que estao ensinando nao sabem fazer e pela generalizacao que me parece uma ofensa a inteligencia.

Marco Antonio Borges Netto - Marcão said...

Alex,

A frase solta, de fato, é cruel e ofensiva, além de desqualificar o profissional da educação.

Concordo integralmente com Fernando.

Contudo, a frase muitas vezes é utilizada ironicamente. Quando você diz, por exemplo, que fulano, um executivo incompetente, vai dar aulas de administração de empresas. Que um político corrupto vai dar aulas de ética. Um ministro da fazenda que piorou a inflação torna professor de economia. E por aí vai.

O que você quis dizer com isso?

eduardo said...

Quem é Fernando Lara...?

gabi said...

Oi Fernando!
Eu e o Pedro adoramos o seu texto. A gente sempre comenta exatamente a mesma coisa. Ele deveria ter parado logo depois de Brasília. E o mais incrível é o Aécio te-lo escolhido para fazer o Centro Administrativo. É sempre a mesma coisa. Algumas curvas, com rampas (estranhos apêndices). Tudo isso sem falar no uso, a nosso ver, sua última preocupação.

Anonymous said...

Completely I share your opinion. It seems to me it is excellent idea. I agree with you.