Sunday, July 1, 2007

90% de boas intenções, 10% de acerto


uma exposição no Copper-Hewitt Design Museum me atraiu pelo título: Design for the Other 90%.
O que deveria ser a celebração de idéias interessantes a serem usadas pelos 90% da população do mundo que normalmente não consome “design”, acabou se mostrando um amontoado de objetos que não fazem muito sentido juntos, e talvez nem separados. Como um filtro de cerâmica para resolver o problema da contaminação de água no terceiro mundo.... dãaaa, ninguém avisou pra eles que isto existe em qualquer armazém no Brasil. Ou pior, um abrigo para “day laborers”, imigrantes que ganham a vida fazendo qualquer trabalho que aparece e que normalmente se encontram no mesmo lugar todas as manhãs. Mas vejamos, pra que serve um abrigo se os lugares escolhidos já são a sombra de uma árvore ou debaixo da marquise de um posto de gasolina, e se desabrigados pela própria legislação e vítimas de repetida repressão policial, os migrantes mudam de “ponto” a cada semana.
Noutro momento “nada a ver” estava exposto uma enorme parábola de metal a ser usada para concentrar raios solares e fazer fogo ou ferver água, esquecendo-se de que tanto no Brasil quanto na Índia e na maior parte da África a população já tem tanto eletricidade quanto gás de cozinha.
Mas nem tudo foi bola fora na exposição, dois objetos fazem valer o ingresso e por coincidência os dois lidam com a questão da água. O primeiro um filtro portátil usado como um canudo de sucção que filtra a água diretamente do reservatório, seja ele qual for, para a boca. O segundo, disparado meu preferido, um galão de plástico com capacidade de 50 litros que pode ser puxado rolando (ver foto acima) para alivio de milhões de pescoços que ainda hoje carregam latas na cabeça.
Em resumo, uma exposição para fazer novaiorquino se sentir bem imaginando que o design pode salvar o mundo. Na maioria dos casos mostrados me pareceu que os designers não se deram muito ao trabalho de entender a complexidade do mundo real. Nos casos dos dois objetos descritos acima, tiro meu chapéu para quem os concebeu, tanto pela simplicidade quanto pelo impacto que podem ter pelo mundo a fora. Espero ver meninos rolando muita água morro a cima enquanto o saneamento não chega.

2 comments:

VAnessa said...

Fernando, esse tubo é o Lifestraw? Se for, realmente é tudo, tem um post no Neorama sobre ele http://neorama.wordpress.com/2007/03/29/agua-para-todos/, mas eu concordo com o Luis que fez um comentário no meu blogue dizendo que "infelizmente vai contra a perversa lógica da indústria e isso impede q seja disseminado como deveria…" e eu sou obrigada a concordar com ele! Beijos!

Fernando L Lara said...

Vanessa,

esse tubo eh o lifestraw sim, sabia que ja o conhecia de algum lugar. Voltando a exposicao do Copper-Hewitt, acho que voce ia desaprovar ainda mais do que eu.
beijos,
fernando