Thursday, October 8, 2009

o momento do Brasil / Brazil's momentum

vale a pena ler a Foreign Policy analizando o momento brasileiro e dando boa parte do crédito para Celso Amorin (enquanto os chanceleres tucanos reclamam pelos cantos)

e tem gente que ainda acha que isso tudo é invenção da esquerda.....

it is worth reading Foreign Policy Magazine analyzing Brazil's momentum and crediting foreign minister Celso Amorin for the bulk of it.


ps em 9 de outubro. Alguns dos comentários neste post abusaram de linguagem inapropriada e ofensiva a este blogueiro e aos leitores. Foram deletados como serão quaisquer outros que eu julgar inapropriados.

15 comments:

Alberto said...

Não; a Foreign Policy que é uma invenção da esquerda.

O conteudo, bem, o conteúdo é ridículo. Mas melhor que eu já escreveu o Reinaldo. Para quem quiser uma análise sobre a tal matéria, clique no link do meu nome, e aproveite para ver lá também a folha corrida, digo, a lsita de serviços prestados pelo megalonanico...

Fernando L Lara said...

Reinaldo quem? Aquele maluco da ultra direita da veja? Me poupe Alberto, leio não, obrigado.

Alberto said...

ultra direita?? Você lá sabe o que é DIREITA pra falar um ultra direita???

É óbvio que você não lê! Poucas coisas são tão evidentes, aliás!

Você prefere a sutileza intelectual,, vamos ver aqui do lado, hmm, do Idelber, essa flor de moderação. Prefere o nassif, essa credibilidade ilibada a la Edward Said.

E melhor mesmo não ler. Assim não precisa ter que contra-argumentar (ne que seja pra si mesmo).

Fernando L Lara said...

Alberto,

quem sempre torceu o nariz pro Lula não vai dar a mão a palmatória, eu não espero nada diferente. Mas com tanta coisa interessante pra ler eu não perco tempo com a Veja há muitos anos, só no dentista e olhe lá. Enquanto isso, americanos, argentinos, mexicanos, estão todos babando de inveja do Lula.
Olha aqui: http://www.elpais.com/articulo/opinion/Lula/quieres/ser/Presidente/Mexico/elpepuopi/20091008elpepuopi_1/Tes

Alberto said...

Se com a Veja você perde seu tempo, com o Reinaldo Azevedo você perderia muito mais: perde seus argumentos.

Dar a mão a palmatória pro PT? Deixa eu ver: seria dar a mão a palmatória

-para a cumplicidade com as FARC?

-para a cumplicidade com o anti-semitismo? (não só de Ahmadinejad, o mais vergonhos e perigoso, mas o de todos)

- para a cumplicidade com os ditadores em atividade em todo o mundo - Kaddafi, Mugabe, Castro, Chavez)

- para a cumplicidade com os (haja aspas)""""sem terras"""" que destruirma 7 mil pés de laranja da cutrale essa semana? Ou os que mataram dois semana passada?

Para o Lula, a minha mão eu só entrego pessoalmente - no meio da fuça.

E você, para quem é fácil dizer que defende incondicionalmente a democracia e o estado de direito, tudo isso muito natural. Quantqa coerencia. Sorry. Quanto bla-bla-bla.

Fernando L Lara said...

Alberto,

para o MST e as FARC eu defendo sim o estado de direito. Que sejam presos e condenados todos os que cometeram crimes.

agora pôe na sua lista tambêm os ditadores que a direita católica adora: Pinochet, Franco, Salazar. Merecem todos o mesmo lixo da história que Kaddafi e Mugabe.

agora aos idiotas eleitos (Chavez, Bush, Berlusconi) cabe torcer para que as instituições coloquem limites (como fez o supremo tribunal italiano esta semana) enquanto o povo não cai na real.

agora felizmente (felizmente para todos que estão ligeiramente à esquerda) nós ainda vamos ouvir falar muito bem do Lula, por muito tempo.

Alberto said...
This comment has been removed by a blog administrator.
Fernando L Lara said...

que feio Alberto,

a linguagem da sua resposta é absolutamente inapropriada. Aliás, isto tem se repetido com frequência, infelizmente.

esta conversa está encerrada aqui.

comentários futuros com palavrões serão deletados por serem intrinsicamente um desrespeito a mim e aos outros leitores.

Alberto said...
This comment has been removed by a blog administrator.
gabriel said...

é tremendamente surreal quando vemos uma tentativa de debate intelectual usar referências tão ignorantes e anti-intelectuais como o medíocre reinaldo azevedo ou as bobagens antidemocráticas da veja...

a elite paulistana merecia uma temporada de férias em um paraíso capitalista como dubai para aprender um pouco (mas não nos hotéis para milionários, mas nos campos de concentração destinados aos trabalhadores imigrantes: http://www.picturesocial.com/profiles/blogs/dubai-construction-photos-and )

toda a (pseudo)argumentação de alberto só me deixa mais certo de que o projeto tucano para o brasil é vender tudo o que for possível e promover mais e mais segregação... é só olhar para o desastre tucano em SP e ver como o partido trata o povo: http://www.paulohenriqueamorim.com.br/?p=19327

enfim, falei demais: queria apenas perguntar uma coisa. Gostaria que me citassem UM ÚNICO crime cometido pelo MST. Os verdadeiros criminosos no brasil sentam-se em redações de jornais e TVs, estes sim são os verdadeiros responsáveis por criminalizar o mst.

Fernando L Lara said...

Gabriel,

eu discordo disto. Faz tempo que o MST vem promovendo invasões midiáticas e duplamente destrutivas. Destroem o patrimônio alheio (as vezes até o patrimônio público quando destruiram viveiro de mudas da Embrapa) e destroem a credibilidade pública que um dia tiveram. Acho que cometeram crimes sim. São vários os casos de inavasões por motivos políticos (lembra do sítio do FHC em Paracatú?). Vale a pena ler a coluna do Alon Feuerwerker no blog dele sobre o assunto.

gabriel said...

toda forma de ocupação é política, ingenuidade seria acreditar no contrário

e é justamente por isto que elas são legítimas, na medida em que se constituem em um espaço de resistência contra o grande capital

com relação à credibilidade: é REALMENTE o MST que destroi sua própria credibilidade ou quem faz tal tarefa de destrui-la é a grande mídia cujos donos conhecemos?

Fernando L Lara said...

Gabriel,

eu concordo com sua crítica à grande mídia mas uma coisa é invadir, outra coisa é destruir pés de laranja ou mudas da Embrapa (até que fazer xixi na sala do sítio do FHC eu acho que pode ser definido com ato político). Minha leitura é de que o MST tem perdido apoio sim por atos radicais que podem até servir para manter o movimento na mídia mas que no longo prazo são devastadoras. A bandeira da reforma agrária é extremanente legítima quando levantada contra o latifundio improdutivo. Toda vez que o MST invade uma propriedade produtiva a Globo vai estar lá pra mostrar e quem sai perdendo é o próprio MST. Eu realmente não entendo pra que serve esse tipo de ação.

Fernando L Lara said...

mais um editorial internacional sobre o assunto:
http://www.lanacion.com.ar/nota.asp?nota_id=1184746&pid=&toi=

Marco Antonio Borges Netto - Marcão said...

Bom, cheguei atrasado as gostaria de contribuir.

Reconheço que o Brasil com o Lula deu muitos passos positivos mas também deu muitas mancadas. Se a conta pesa mais para um lado que para o outro, só uma tese de Doutorado, talvez.

Sobre a Foreign Policy, li em um jornal (não lembro qual, só sei que não foi em casa que li) um comentário de um cientista político e professor dizendo que o Brasil só não conseguiu a tão sonhada cadeira permanente no Conselho de Segurança da ONU pois ainda titubeia ao posicionar claramente contra ou a favor de determinados regimes políticos, governos, decisões.

E que o Brasil precisa de uma política de Estado, e não de governo, não só em se tratando de assuntos externos como interno. Um exemplo que ele usa é o fato do Brasil ter aceitado as decisões de Chaves contra a Petrobras e cia. alegando que o saldo da balança comercial entre os dois países é de 15 bilhões de dólares a favor do Beasil. Para ele, o Brasil deve pensar mais a médio e longo prazo.

Para o missivista, (esqueci o nome dele. Vou procurar saber) o Brasil também demonstra incongruencias em relação às suas deccisões: apoiou um egípicio ao invés de apoiar um brasileiro diplomata de carreira para um cargo na Unesco e indicou uma pessoa sem experiência e conhecimento na área do comércio (Ellen Gracie) para ocupar um cargo na OMC.

E quanto ao MST, eles lutam por uma causa justa, mas muitos setores dele deturpam seus objetivos e finalidades. E se o MST tivesse uma personalidade jurídica, penso que o movimento seria mais respeitado, inclusive por muitos de seus integrantes.

No mais, é isso.

Abraços.